Personagens bissexuais e a minha personalidade em jogo

Oi! Eu sou o Zé!!! E hoje quero levar vocês numa viagem dentro do meu mundo.

Entre muitas imersões, passei boa parte da minha infância e adolescência lendo quadrinhos e mangás. Muitas vezes me senti abraçado por algumas personagens e não entendia o porquê ~a parte difícil de ser uma criança BIada~, mesmo sentindo aquela ligação profunda por certas coisas ou traços e trejeitos que mexiam comigo de forma positiva.

Então, vamos falar dessa galerinha que me animou e deu muito calorzinho no coração!

Mística

A mutante transmorfa, com mais de 200 anos de idade. Fez sua primeira aparição nas edições #16-17 de Ms. Marvel, no ano de 1978. Foi criada por Chris Claremont e Dave Cockrum.

Mística tem aquele perfil de vilã e não tem nada daquelas mães de comercial de margarina, Noturno e Vampira que lutem! Esse mulherão teve inúmeros casamentos com diversos homens (lembrem que ela tem mais de 200 anos), mas o amor declarado dela sempre foi Irene Adler (Sina), que é integrante original da Irmandade de Mutantes.

A pergunta é: como não sentir essa aproximação louca por alguém que viveu tanta coisa e ainda carrega as melhores histórias e arcos de X-Men!?

Mulher Maravilha

Diana já recebeu várias origens, mas a maioria delas respeita a sua criação em Themyscira, a Ilha Paraíso, como filha de Hipólita. Mas, para citar algumas origens, ela já foi filha de Hades e já foi uma estátua de barro criada pelos deuses. Nossa querida Mulher Maravilha foi criada em 1941, por William Moulton Marston e Harry G. Peter.

O nascimento e protagonismo de Diana em histórias da DC Comics passa por curiosidades como a participação da esposa de Moulton o aconselhando a criar uma personagem feminina e o fetiche do próprio Moulton pelo bondage ~por isso que Diana tem um laço e sempre é amarrada por seus inimigos~.

Demorou muito tempo, mas Diana saiu do armário! Afinal, viver numa ilha onde só amazonas são permitidas significa muita coisa. Um dos momentos que eu acho mais divertido é em Bombshells, quando Mera contra para Steve que foi o primeiro beijo de Diana.

E como é que eu não vou me apaixonar por uma PRINCESA e DEUSA (muitas vezes) bissexual e maravilhosa como Diana Prince?

John Constantine

Mais conhecido como meu marido, John Constantine foi criado em 1984 por Alan Moore, Stephen Bissette e John Totleben e foi inicialmente um personagem secundário nas histórias do Monstro do Pântano (que eu amo com força também). Ele é um neném sarcástico e golpista, mas muitas vezes é retratado como anti-herói. Em 1988 ganhou a própria série em quadrinhos.

Constantine deveria ser o maior mago da história da DC, mas por causa de problemas de relacionamentos ele é desestabilizado. O mundo dele é ligado ao sobrenatural e é por isso que os principais vilões são demônios, anjos e outros seres ocultos.

Ele fala abertamente de seus relacionamentos afetivos com homens e mulheres nos quadrinhos de Hellblazer, mas como ele também poderia ser encaixado como pansexual, já que não há limites para suas relações ~nem demônios escampam~.

Harley e Ivy

Aqui no Brasil, conhecidas como Arlequina e Hera Venenosa, as duas personagens são anti-heroínas do universo DC Comics.

Arlequina foi criada por Paul Dini, que se inspirou numa personagem da novela que num dos episódios usou um uniforme de bobo bem parecido com o que ela veste nas primeiras histórias em que aparece nos quadrinhos de Batman em 1993. Harleen Quinzel foi uma psiquiatra que se tornou obcecada por Coringa até que se transformou na Arlequina. Além de Coringa, ela já teve relacionamentos amorosos com Pistoleiro, Shazam, Bianca Steeplechase e Hera Venenosa. Batman, Poderosa e Mulher Maravilha são alguns de seus amores platônicos.

Já a Dr. Pamela Isley (essa sim tem doutorado) ou Hera Venenosa, tem sua primeira aparição em 1966, sendo criada por Robert Kanigher na edição #181 de Batman. Já foi um interesse amoroso de Batman e, literalmente, foi seu veneno e sua cura.

O importante de lembrar é que ambas as personagens vieram de relacionamentos abusivos e muita coisa acontece até as duas se tornarem amigas e desenvolverem algo mais complexo.

David Alleyene – Prodígio

Aqui vamos para meu novo neném! Conheci Prodígio há pouco tempo quando fui ler “Novos Mutantes”. Esse bebezão foi criado por Nunzio DeFilippis e Christina Weir. A base de seus poderes é absorver/mimetizar conhecimentos. Então ele acumula desde pontos fracos de seus inimigos até conhecimentos em artes marciais.

Ele fala abertamente sobre sua sexualidade e esse charme da inteligência libera todo o meu lado sapiossexual adormecido!

 

Espero que vocês tenham curtido essa tag criada como muito amor! Logo logo tem mais e não se esqueçam: o Bisão Voador pode ser encontrado em todas as plataformas digitais de streaming. Ouçam e compartilhem os nossos conteúdos nas redes sociais.

Nos vemos por aí!

Beijinho, beijinho. Tchau Tchau!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s